logo
Insparedes - Setembro foi “frio” para o mercado automóvel nacional!
blog-1

Setembro foi “frio” para o mercado automóvel nacional!


No mês de Setembro, Portugal voltou a apresentar sinais negativos no mercado automóvel, caindo 20,5%, comparativamente com o mesmo período do ano anterior.

A nível do mercado dos ligeiros, foi a Peugeot quem consolidou a liderança, com a BMW a superar a Mercedes-Benz na luta pelo terceiro lugar.

Segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), em Setembro de 2021 foram matriculados 13 041 automóveis em Portugal, menos 20,5% comparando com  o mês homólogo do ano 2020. 

Nos primeiros nove meses do ano 2021, verificou-se uma ligeira subida de 7,4% , o que se traduz em 136.585 novos veículos matriculados. Apesar de Portugal se encontrar numa fase mais positiva relativamente à pandemia do Covid-19, os seus efeitos parecem ainda arrastar o setor automóvel, acompanhando a crise que se presencia a nível da construção mundial, a nível dos transportes e dos combustíveis.

No mercado de automóveis ligeiros de passageiros, foram matriculados em Setembro 10.786 veículos, menos 18,2% do que em setembro de 2020. De janeiro a setembro, as matrículas de veículos ligeiros de passageiros totalizaram 112.525 unidades, traduzindo-se num ligeiro aumento de 6,5%. 

Já o mercado de ligeiros de mercadorias registou uma evolução negativa de 29,6% face ao mês de Setembro de 2020, com 1772 unidades matriculadas. Em termos acumulados, o mercado atingiu 20.520 unidades, um aumento de 10,2% em comparação com o mesmo período de 2020. 

Por fim, no segmento dos veículos pesados, o qual engloba veículos de passageiros e de mercadorias, em Setembro de 2021 verificou-se uma queda de 31,2% face ao mesmo mês de 2020, com o registo de 483 veículos desta categoria. Em 2021, as matrículas desta categoria totalizaram 3540 unidades, um aumento de 22,9% quando comparado com o mesmo período de 2020.


É mais do que certo que a pandemia do Covid-19, bem como as crises dos combustíveis e dos transportes têm vindo a atrapalhar o setor do comércio automóvel. Acha que o paradigma mudará? Dê-nos a sua opinião!


A Insparedes deseja-lhe Boas Viagens!


Aceder à Fonte da Notícia