logo
Insparedes - Conduzir em dias nublados? Saiba como o fazer em segurança!
blog-1

Conduzir em dias nublados? Saiba como o fazer em segurança!


Em pleno horário de outono-inverno, temperaturas a descer e perante uma das épocas mais difíceis para conduzir - o Inverno, é importante adotar algumas medidas de precaução na condução.

Durante o Outono e o Inverno, é comum nos depararmos com dias completamente nublados que nos ofuscam a visão e dificultam bastante a condução. Saiba com a Insparedes alguns pontos a ter em conta!

Em termos de visibilidade, podemos afirmar que o nevoeiro é o maior inimigo! Condução nestas condições não só é cansativo, como perigoso. 

Contudo, saiba que a verdadeira chave para a condução com nevoeiro passa por uma simples regra chamada de 3V’s: Visibilidade, Veículo da Frente e Velocidade. 

Resumindo, a regra dos 3 V’s nada mais é do que guardar de distância para o carro da frente exatamente os metros em que temos visibilidade (quanto mais distância, melhor) e não exceder a velocidade de 50Km/h. 

Esta regra é a melhor forma de assegurar que, numa emergência, a distância de segurança será suficiente para evitar uma colisão. Obviamente, existem outros fatores a ter em conta na condução perante nevoeiro, sobre as quais falaremos já de seguida:


Está a utilizar as luzes de nevoeiro de forma correta?

O nevoeiro dificulta a visibilidade porque os nossos olhos são obrigados a ver através de uma enormidade de pequenas gotas de água, o que gera a importante necessidade de utilizar as luzes de nevoeiro. 

As luzes traseiras têm maior intensidade e menor dispersão, o que significa que, apesar das condições que dificultam a visibilidade, outros utentes da estrada podem ver-nos corretamente e adaptar a sua condução. 

Já as luzes da frente são dirigidas para baixo e mais perto, para que possamos ver corretamente o que está diretamente à nossa frente, e o seu feixe é mais intenso que a do feixe de cruzamento. 

No entanto, devemos lembrar-nos que a luz de nevoeiro, quando não há nevoeiro nem chuva, é bastante deslumbrante. Por isso, se forem ligadas, estamos a perturbar os outros condutores, que podem perder visibilidade durante alguns segundos, devido ao brilho produzido, com o risco de segurança associado. 

Uma forma de saber se é altura de desligar é verificar se se sente perturbado pela luz de nevoeiro traseira do veículo da frente: se é desconfortável para nós, é também para o condutor atrás de nós. Há apenas três casos em que deve acender a luz de nevoeiro da frente:

  1. Na presença de nevoeiro que, quanto mais intenso for, mais carece da utilização das luzes de nevoeiro;
  2. Quando há chuva intensa, neve, nuvens de pó ou fumo;
  3. Ao conduzir à noite em estradas muitos estreitas, com curvas apertadas de pouca visibilidade (com o correspondente sinal de curvas perigosas na estradas).

As luzes de nevoeiro traseiras devem ser ativadas apenas em caso de nevoeiro muito denso, quando a visibilidade pode ser reduzida para cerca de vinte metros. Ao ter estas luzes ativas, avisaremos os outros veículos da nossa presença. 

Também ajudam outros carros a perceber o traçado da estrada. Outra questão que deve ter em mente é que não deve ter o feixe alto, já que as gotas de água suspensas no ar formam o fenómeno de efeito espelho, fazendo com que a luz faça um ricochete, dificultando ainda mais a visibilidade.



Pode até ter as melhores luzes de nevoeiro mas, para que a sua visibilidade durante a condução seja garantida, é crucial circular com o limpa pára-brisas em bom estado, lembrando que, caso contrário, poderá resultar numa perda de visibilidade entre 20 e 30%. É aconselhável substituí-las uma vez por ano, preferencialmente entre o Outono e o Inverno!

A Insparedes deseja-lhe Boas Viagens!


Aceder à fonte da notícia