Descubra Verdades e Mitos sobre a Embraiagem do seu carro

A embraiagem em carros manuais, através do pedal esquerdo, é envolta em mitos e questões vindas do passado, mas muitas ainda tidas em grande consideração até hoje. A Insparedes conta-lhe tudo!

Embraiagem

A embraiagem é o mecanismo que facilita a mudança de marchas e que realiza o acoplamento do motor.

A utilização da embraiagem em carros manuais, através do pedal esquerdo, é um facto que suscita mitos e questões desde há muito tempo.

Como tal, a Insparedes responde a algumas delas:

Porque é que o pedal da embraiagem começa a endurecer em carros com muitos quilómetros?

O endurecimento do pedal da embraiagem deve-se ao desgaste da embraiagem, cuja mola do disco já pode ter perdido de 20% a 30% de flexibilidade. Esta mola deteriora-se e, acabando por prejudicar todo o mecanismo, deve mesmo ser trocada.

O responsável por este desgaste são os choques mecânicos e as altas temperaturas impostas aos componentes.

Assim, para prolongar a vida útil da embraiagem, elimine certos vícios durante a condução, como descansar o pé no pedal, segurar o carro com a embraiagem numa subida em vez de utilizar o travão de mão e arrancar bruscamente.

É verdade que não se deve accionar a embraiagem no arranque?

Há quem afirme que essa prática, de facto, não traz qualquer benefício mecânico. Mas, também há quem afirme que ao pisar na embraiagem se alivia o peso no volante do motor, o que é útil caso a bateria esteja fraca.

Deve arrancar-se com a marcha engatada pisando na embraiagem?

Embora haja quem pense assim, não é de todo um procedimento saudável, já que ao ligar o carro os pistões movimentam-se e dão ao cilindro a lubrificação necessária. Já arrancar calcando a embraiagem, apenas a desgasta.

É necessário pisar a embraiagem ao desengatar?

Nesta caso é mesmo necessário, tanto no engate como desengate, já que este procedimento evita a quebra dos dentes das engrenagens.

É aconselhável arrancar com a segunda engatada?

Este procedimento não é nada recomendável, já que pode prejudicar o motor e a caixa de mudanças. Como consequência, a transmissão funcionará de forma deficiente, causando apenas desgastes.

O que significa “trocar de mudanças no tempo”, sem a utilização da embraiagem?

Isto significa sincronizar a velocidade do motor com a velocidade da engrenagem seleccionada. Para tal, é necessário conhecer as relações de marcha do carro para saber que rotação deve ser atingida em cada troca de mudanças.

Este recurso pode ser importante caso a sua embraiagem avarie, por exemplo, mas não deverá ser utilizado com frequência, já que pode arranhar as mudanças e causar danos nos anéis sincronizadores.

Quais as consequências de se arranhar a marcha durante as trocas?

O engate forçado durante a troca de mudanças pode partir os dentes das engrenagens que ficam acumuladas no óleo e compromete depois a sua absorção. Caso verifique que tem lascas no depósito do óleo, este deve ser imediatamente trocado, pois estes pedaços de metal danificarão ainda mais as outras engrenagens.

Agora que já sabe um pouco mais sobre a embraiagem e que cuidados deve ter para que esta não se torne numa dor de cabeça, a Insparedes sugere-lhe que, caso desconfie que a sua embraiagem não está nas melhores condições, proceda a uma revisão, uma vez que é um dos mecanismos primordiais na condução!

A Insparedes deseja-lhe Boas Viagens!

 

Aceder à fonte da notícia

 

Deixe um comentário



Os melhores Truques e Dicas para valorizar o seu automóvel

Comece a receber todos os meses...
Inscrever Agora 
close-link